Capa do estudo Estupro no Brasil, uma radiografia segundo os dados da Saúde (Ipea, 2014)

Estupro no Brasil, uma radiografia segundo os dados da Saúde (Ipea, 2014)

Instituição/Orgão: Âmbito: Ano:

Os registros mostram que 89% das vítimas são do sexo feminino e em geral têm baixa escolaridade.

Do total, 70% são crianças e adolescentes. Em metade das ocorrências envolvendo crianças, há um histórico de estupros anteriores.

70% dos estupros são cometidos por parentes, namorados ou amigos/conhecidos da vítima.

Sobre a pesquisa

A Nota Técnica do Ipea é baseada principalmente nos microdados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), do Ministério da Saúde. Por meio de modelos de regressão logística, são analisados os condicionantes associados à probabilidade de a vítima: 1) sofrer estupros repetidos; 2) contrair DST; 3) passar por tratamento profilático contra DST; 4) fazer aborto legal; e 5) ser encaminhada pela unidade de saúde a outros órgãos públicos.

Acesse a divulgação no site do Ipea: Estudo analisa casos notificados de estupro (Ipea, 27/03/2014)

Faça o Download da pesquisa completa

Maioria das vítimas de estupro é menina/adolescente e tem pouca escolaridade

Os registros do Sinan demonstram que 89% das vítimas são do sexo feminino e possuem, em geral, baixa escolaridade. Do total, 70% são crianças e adolescentes.

O agressor da criança frequentemente é um conhecido

24,1% dos agressores das crianças são os próprios pais ou padrastos e 32,2% são amigos ou conhecidos da vítima. O indivíduo desconhecido passa a configurar paulatinamente como principal autor do estupro à medida que a idade da vítima aumenta. Na fase adulta, este responde por 60,5% dos casos.

tabela-perfil-estuprador

 

O agressor age dentro de casa

No geral, 70% dos estupros são cometidos por parentes, namorados ou amigos/conhecidos da vítima, o que indica que o principal inimigo está dentro de casa e que a violência nasce dentro dos lares.

Número de agressores

Sobre a relação entre o número de agressores envolvidos no estupro e a faixa etária da vítima revela que a proporção de casos que envolvem mais de um agressor é maior quando a vítima é adolescente, e é menor quando a vítima é criança.

Cerca de 15% dos estupros registrados foram cometidos por dois ou mais agressores.